Alimentos Funcionais

Enquanto os polêmicos transgênicos pretendem revolucionar a cadeia produtiva, outros alimentos chegam mais discretamente às prateleiras dos mercados e vem ganhando espaço. São os chamados funcionais ou nutracêuticos que são alimentos que, além de cumprirem sua função nutricional básica, contem compostos que trazem benefícios à saúde, assim como podem auxiliar na redução de doenças crônico-degenerativas.

Na verdade, todo alimento natural (digo não processado industrialmente) pode ser classificado como “funcional”, já que contém, em doses variáveis, componentes essenciais à nossa saúde, como vitaminas, minerais, enzimas, fibras – porém, certos alimentos contém, além destes, outros componentes com grande capacidade protetora da saúde. É o caso do extrato de alho, da semente da linhaça, do gel da babosa e de produtos elaborados com a mesma, pois acabam tornando-se alimentos para o nosso corpo. Também dos cereais, da soja, dos vegetais da família dos crucíferos, dos produtos lácteos – que tem recebido o “status” de medicamento e tem sido classificados como alimentos funcionais.

ALIMENTO FUNCIONAL X NÃO FUNCIONAL
EX: ARROZ INTEGRAL X ARROZ BRANCO (refinado)

O ARROZ INTEGRAL é envolto por uma película que é justamente o que o mantém integral. Esta película segura o germe do grão que juntos formam uma dupla designada FARELO. Os farelos são ricos em vários compostos ativos, entre eles as fibras (que estimulam o funcionamento intestinal), os fitatos (que protegem o organismo do depósito de chumbo (trabalho do Dr. Jaime-Amaya – Unicamp), os ácidos graxos insaturados, as proteínas e vitaminas B1 principalmente. Podemos então considerá-lo um alimento funcional.
O ARROZ BRANCO, por sua vez, não contém esta película porque ela foi retirada no processo da refinação. Portanto, este arroz não contém farelo, não podendo ser indicado como alimento funcional

Veja alguns alimentos que contêm substâncias biologicamente ativas :

  • Farelos (trigo, aveia, arroz) – ricos em fibras – estimulam funcionamento intestinal, reduzem o colesterol.
  • Chá verde (green-tea) – rico em polifenóis – previnem o câncer e doenças do coração.
  • Vegetais crucíferos (brócolos, repolho, couve-de-bruxelas, rabanete, couve-flor) – grandes quantidades de glicosinolatos – previnem o câncer.
  • Peixes de água fria (atum, salmão) – ricos em Ômega 3 – reduzem colesterol e doenças do coração.
  • Frutas cítricas – ricas em limoneno – previnem o câncer, fortalecem o sistema imunológico.
  • Alho, cebola – contem alicina – estimulam o sistema imune, varredores de radicais livres, reduzem colesterol e triglicérides.
  • Produtos lácteos (iogurte, queijo, ricota) – pré e próbióticos – melhoram a flora bacteriana.
  • Linhaça – contem lignana – modulam o sistema imune, reduzem colesterol e diminuem o risco de doenças cardiovasculares.
  • Aloe Vera (Babosa) -Vitaminas – Contém um grupo enorme delas, com ação antioxidante. Aminoácidos – essenciais para o  corpo humano. Açúcares – Está incluída no gel a longa cadeia de polissacarídeos que agem no sistema imunológico. Enzimas – As lípases e proteases as quais quebram as moléculas dos alimentos e auxiliam na digestão, e também a carboxipeptidíase que está envolvida no processo antiinflamatório. Saponina – É uma substância que aplica uma potente função anti-microbial contra as bactérias, vírus e fungos como cândida e micoses.
    Antraquinonas – Os mais importantes são a aloína e a emodina, e juntos se transformam em um forte analgésico e são responsáveis por processar as atividades antibactericidas e antivirais.
    Ácido Salicílico – Esse componente da aspirina é um anti-inflamatório e quando usado topicamente ajuda a diminuir a morte dos tecidos.

O desenvolvimento da sociedade industrial e a vida nas grandes cidades produziram gerações de sedentários estressados e com péssimos hábitos alimentares que se acostumaram com a praticidade dos alimentos industrializados e que buscam através dela suprir suas deficiências nutricionais e mesmo evitar doenças. Nestes casos, encontramos no mercado alguns alimentos “enriquecidos” que classificamos como suplementos dietéticos funcionais:

  • leite longa vida acrescido de Ômega 3.
  • farinhas acrescidas de fibras.
  • vinagre com acerola (produto Sanavita).
  • fórmulas à base de proteína isolada de soja com dosagens adequadas de isoflavonas.
  • shakes enriquecidos

Ainda assim, sugeri-se que sejam incluídos, diariamente, na dieta alguns alimentos que podemos naturalmente classificar como funcionais para que você possa desfrutar dos benefícios atribuídos à sua saúde !!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *