Inibidores de apetite

ANVISA pode proibir anfetaminas

Inibidores de apetite causam hipertensão, arritmia cardíaca, euforia, delírios e ate a morte dos usuários.

Casos de arritmia cardíaca, hipertensão pulmonar, euforia, irritabilidade, delírios, alem de riscos de infarto e acidente vascular encefálico, são alguns dos efeitos colaterais causados pelos inibidores do apetite. Por causa destes problemas que podem levar ate a morte do paciente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) pode proibir a comercialização destas drogas ainda este mês. A agência quer cancelar o registro dos medicamentos que contem sibutramina e dos três anorexígenos anfetamínicos (anfepramona, femproporex e mazindol) de acordo com a assessoria de comunicação do órgão, em duas semanas a diretoria vai analisar o relatório técnico que pede a retirada dos produtos do mercado. Caso seja definido o cancelamento dos produtos, eles podem ser retirados das prateleiras das farmácias imediatamente. Para o diretor de medicamentos da agência estadual e vigilância sanitária (AGEVISA), Jailson Vilberto, as anfetaminas não conseguem garantir resultados satisfatórios.

Alem de trazer reações adversas, o usuário não tem a finalidade cumprida. Eles perdem peso, mas quando param de tomar tem o chamado efeito sanfona e ganham o que perdeu e mais um pouco. Para ele todos os medicamentos têm o fator risco/benefício e, no caso dos inibidores de apetite muitas vezes os riscos são maiores. Uma pessoa com obesidade mórbida para ela todo tipo de atividade vale a pena. Mas a pessoa mais saudável os riscos são maiores que os benefícios. Os endocrinologistas são contra porque boa parte das consultas é para perda de peso.  E observado em pano de fundo que se houver proibição haverá perda financeira para clinicas de endocrinologia.

Muitos obesos recorrem aos medicamentos por não conseguirem com dietas, mas pesquisas mostram que eles precisam de uma reeducação alimentar que contemple uma redução calórica. Por isso, pequenas mudanças com retira de refeições e alimentos em excesso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *