Suplementos nutricionais e das plantas

Suplementos nutricionais e das plantas

As substancias e os produtos que denominamos suplementos não são exatamente novidade. As vitaminas na forma de comprimidos existem há mais de 50 anos. As plantas medicinais também conhecidas como fitoterápicos quando na forma de medicamentos, forma artigos de primeira necessidade nos quartos de doentes e nas cozinhas das pessoas durante os séculos e constituíram a forma primária de medicina até este século. Ainda apenas uma década, a maioria dos comprimidos de vitaminas era constituída por fórmulas bastante uniformes para uso de um comprimido diário, e os medicamentos à base de plantas muitas vezes precisavam ser preparados em casa ou adquiridos nas raras lojas de produtos naturais.

Hoje os suplementos alimentares, ou suplementos nutricionais, como são chamados compreendem uma enorme coleção de vitaminas, minerais e plantas medicinais, bem como de outras substancias que foram extraídas ou produzidas a partir de fontes naturais. Com toda essa atenção e as vendas crescente de suplementos, não é mais surpresa o fato de milhões de pessoas, incluindo muitos médicos e cientistas, terem passado a acreditar que substancias como o alho, equinácea e extrato de semente de uva, juntamente com vitaminas e minerais, são tão benéficas para a saúde quanto alimentos pobres em gordura, exercícios e acido acetilsalicílico.

Embora a pesquisa com medicamentos à base de plantas esteja engatinhado em alguns países, na Europa as plantas medicinais formam amplamente estudadas nos últimos 20 anos, e foram estabelecidos padrões para sua eficácia e segurança. Na Alemanha uma comissão de médicos e cientistas foi formada para estudar a utilidade e a segurança de produtos a base de plantas. Essa comissão divulgou pareceres sobre cerca de 300 espécies e constatou que aproximadamente dois terços delas são seguros e eficazes. O estudo persuadiu mais médicos e cientistas a reduzir a rejeição com relação aos medicamentos à base de plantas.

Cada vez é maior a ênfase apoiada por números crescentes de médicos nas mudanças do estilo de vida como fator fundamental para manter a boa saúde. Esta medida pode ajudar e aliviar queixas comum, incluído dor nas costas a prisão de ventre, e também  reduzir o risco de enfermidades graves como doenças cardíacas e câncer. A raiz de valeriana, uma planta que ajuda a pessoa a dormir, encontrada na forma de cápsulas, pode custar menos que os sedativos convencionais e praticamente não tem os efeitos colaterais. Hoje se encontra no mercado uma grande variedade de suplementos e vitaminas, mas para se tomar uma decisão consciente, é essencial compreender os termos usados nos rótulos dos suplementos, bem como as propriedades e características do mesmo.

Plantas

Os suplementos de plantas medicinais são preparados a partir das suas folhas, caules, raízes ou cascas bem como brotos e flores. Conhecidas há séculos como agentes medicinais, muitas partes dos vegetais podem ser usadas em sua forma natural, ou podem ser refinadas em comprimidos, capsulas, pós, tinturas, e outras formulações de suplementos. Muitas plantas possuem vários compostos ativos que interagem entre si, produzindo um efeito terapêutico. Um suplemento de plantas medicinais pode conter todas as substancias encontradas em uma planta, ou apenas uma ou duas das substancias isoladas que foram extraídas com sucesso. Entretanto, os agentes ativos de alguma delas simplesmente não foram identificados; assim, muitas vezes é necessário usar a planta completa para obter todos os seus benefícios.

Das centenas de remédios que estão surgindo no renascimento atual dos medicamentos à base de plantas, a maioria está sendo usadas no tratamento de problemas de saúde crônicos ou leves. Cada vez mais, as plantas estão sendo empregadas para atingir ou obter uma boa saúde, por exemplo, para estimular o sistema imunológico, ajudar a manter baixos os níveis de colesterol no sangue ou proteger o corpo contra fadiga. Menos comumente, algumas plantas agora são recomendadas como tratamento complementar de doenças agudas e graves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *