Pílula de manga africana promete emagrecimento!

 

Pílula de manga africana promete emagrecimento!

Emagrecer chupando manga? Não é bem assim como se pensa, pois a manga que se fala é de outra espécie. Conhecida como manga africana, a fruta nativa da áfrica não esta sendo plantada em outros continentes. O que não é problema para a indústria do emagrecimento, sempre pronta a oferecer um novo produto para dieta na forma mais prática de consumo, as  pílulas. São elas que estão sendo anunciadas na internet. Na rede, as farmácias de manipulação ou revendedores de produtos estrangeiros feitos com extrato da semente da manga africana.

Na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), não há registro de produto composto pela Irvingia gabonesis (nome cientifico da manga africana). As promessas de emagrecimento rápido, saõ baseadas em estudos feitos em universidades africanas, e alguns deles publicados em jornais científicos internacionais. Umas das pesquisas mais recentes publicada no jornal “Lipids in Health and Diases”, é um estudo com 102 pessoas com grupo de controle (metade placebo, para comparar os resultados com o grupo que tomou o extrato da manga.

Segundo os pesquisadores, após dez semanas o grupo que tomou 150mg diárias de extrato de manga africana finalizou op estudo mais leve, com a cintura mais fina e com melhores índices de colesterol e glicose no sangue. Os coordenadores do trabalho de Iaudé (capital da República de Camarões) escreveram que os dois grupos iniciaram as pesquisas com a mesma medida corporais. Ao final do estudo, a média de peso dos que tomaram o suplemento caiu para 85kg, contra 95kg do grupo controle; eles também saíram com 13 cm a menos de cintura, em média.

Também foi observada a queda nos níveis de colesterol e glicose no sangue; enquanto o grupo que tomou placebo diminuiu em 1,9% os níveis de colesterol e em 5,3% os de glicose, os que tomaram a pílula com principio ativo tiveram redução de 26% no colesterol total e de 22% na glicose. Muito bom para ser verdade? Pode ser um estudo com cem pessoas é pequeno e, embora uns 20 trabalhos semelhantes publicados, todos foram feitos com poucos participantes.

E como também são de curta duração, é difícil prever os efeitos colaterais em longo prazo. No estudo da República de Camarões, as reações adversas observadas foram dor de cabeça, dificuldade para dormir e flatulência. Para a nutricionista Daniela Jobst, de São Paulo, uma das explicações possíveis para a ação do suplemento é o fato de ele ser rico em fibras. Fibras aumentam a sensação de saciedade, o que ajuda a comer menos, e reduzem a absorção de gorduras e açúcar. Mas isso acontece com qualquer fibra alimentar, é só adicionar os ingredientes certos no dia a dia não é preciso tal suplemento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *