Higienização Alimentar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Higienização Alimentar

Alguns microrganismos são encontrados nos alimentos desde sua obtenção na agricultura ou na pecuária. A riqueza de proteína e de água em alimentos de origem animal facilita a deterioração do produto e a sobrevivência e multiplicação de microrganismos nocivos ao ser humano. Outros contaminam os alimentos por manipulação incorreta, armazenamento, preparo e distribuição inadequados. Alguns tipos de microrganismos estão presentes nos alimentos por contaminação de origem fecal. É muito importante, então, higienizar bem os alimentos para retardar ou inibir as contaminações microbianas e a deterioração dos produtos, prevenindo, assim, contra intoxicação e infecção de origem alimentar.

É importante lavar com água (potável), mas não é suficiente.

A água corrente retira as sujeiras aparentes, como terra ou larvas nos vegetais folhosos, mas não é suficiente para uma higienização eficaz (saladas de vegetais folhosos, como a alface) os microrganismos nocivos ao ser humano.

O vinagre é um condimento e não é produto que esteja relacionado como desinfetante pelas legislações da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O cloro (hipoclorito de sódio) é o sanitizante mais usado porque é efetivo contra uma grande variedade de microrganismos, mesmo em baixas concentrações, Ex. Água sanitária de uso geral = cada 1 litro de água 1 colher de sopa de água sanitária de uso geral. As folhas boas que irão ser consumidas cruas devem ser lavadas em água corrente uma a uma, mergulhando-as posteriormente durante 15 minutos em solução clorada (hipoclorito de sódio a 2%) na proporção de uma colher de sopa para um litro de água ou seguindo orientação do fabricante.  Após a sanitização lavar o alimento com água filtrada para tirar o gosto de cloro das folhagens.

Os alimentos cujas cascas não são consumidas (tais como laranja, mexerica, banana, entre outras) podem ser lavados somente em água corrente. No caso de utilização de escovas para esfregar as cascas, a escova deve ser utilizada somente para alimentos e deve ser higienizada frequentemente com sabão e hipoclorito de sódio. Ainda assim é preciso que o descascador utilizado, a mão e as unhas do manipulador e do consumidor do alimento estejam higienizados com água corrente e sabão, para não contaminar o alimento descascado.

 

O tomate deve ser lavado com sabão, por conter muitos agrotóxicos?

A lavagem dos alimentos em água corrente ou com sabão só consegue remover parte dos resíduos de agrotóxicos presentes na superfície do tomate. Alguns profissionais não recomendam o uso de sabão ou detergente na lavagem dos frutos (como o tomate) e das frutas porque tendem a causar a perda de qualidades sensoriais (odor e sabor característico) dos alimentos.

Legumes, tubérculos, frutos e ovos servidos cozidos não necessitam passar pela solução clorada, sendo suficiente a higienização em água potável, desde que atinjam 74°C na cocção ou outras combinações de tempo e temperatura (65ºC por 15’ ou 70ºC por 2’). Dessa forma, também não é necessário lavar a carne ou o arroz com água corrente porque ambos passam por um processo de cocção antes de serem consumidos.

Como armazenar as frutas, legumes, verduras? Qual a periodicidade deles na geladeira?

A geladeira que estiver armazenando frutas, legumes e verduras deve manter uma temperatura ideal de 4ºC e o congelador de – 18ºC.

É importante que a geladeira não seja aberta com muita frequência e esteja com as borrachas de vedação em bom estado.

Não se recomenda superlotar o refrigerador, deixando espaço livre para a circulação de ar frio entre os alimentos.

Também não se recomenda armazenar os alimentos em grandes proporções, devendo subdividi-los o máximo que puder.

Outra recomendação é não utilizar papelão, papel ou plástico nas prateleiras da geladeira, pois isso dificultará a circulação livre do ar entre os alimentos. No entanto, as frutas, legumes e verduras devem ser armazenados em embalagens plásticas nos gavetões das geladeiras.

Em caso de compra de legumes com a rama, recomenda-se que seja armazenada integralmente, retirando-a somente quando for utilizar o legume. Dessa forma, o legume fica conservado por mais tempo.

Os legumes mais duros (beterraba, cenoura, entre outros) têm um tempo de vida útil maior (tempo de prateleira) que as verduras (folhosos, tomate, entre outros). O armazenamento na geladeira pode durar até cinco dias sob temperatura ideal de 4ºC, dependendo das características do alimento e do tempo de maturação em que se encontra no momento da compra.

É recomendável consumir frutas e verduras o mais breve possível após sua compra. A compra depende de vários fatores, entre eles a intensidade do consumo. Em média, recomenda-se que a compra de frutas e verduras seja realizada de uma a duas vezes por semana.

Como armazenar as frutas depois que já estiverem cortadas?

As frutas macias sem casca podem ser colocadas em cima do gavetão em recipientes vedados. As com casca não precisam ser cobertas.

Alimentos passados podem ser consumidos?

Alimentos passados nunca devem ser consumidos porque algumas contaminações microbianas não alteram de imediato o sabor dos alimentos. Por isso, na dúvida, não experimente, jogue fora o alimento suspeito de estar passado.

Se não forem bem higienizados, o que os alimentos mal lavados podem acarretar para a saúde?

Os alimentos mal lavados podem causar DVAs (Doenças Veiculadas por Alimentos), como infecções e/ou intoxicação alimentar. Essas doenças podem causar desde sintomas moderados, como dores abdominais, dores de cabeça, náuseas, vômitos e diarreias, até levar à hospitalização e mesmo à morte, dependendo da intensidade e tipo da contaminação e da resistência imunológica da pessoa contaminada.

 

 

Prof.ª Dra. Aída Couto Dinucci Bezerra é Doutora em Saúde Pública pela USP, professora da Universidade Federal de Mato Grosso, revisora do periódico Health Education Research e da Revista de Ciência e Tecnologia de Alimentos.

 

 Fonte: http://idmed.uol.com.br/Nutrição/Alimentação/higienizacao-dos-alimentos-faca-direito.html

Coletânea


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *